Homofobia no balé? Brasileira diz que espetáculo cancelado estava pronto

A bailarina Bruna Gaglianone afirmou que a equipe do espetáculo estava pronta, contrariando declarações do diretor (FOTO: Bruna Gaglianone / Instagram)
A bailarina Bruna Gaglianone afirmou que a equipe do espetáculo estava pronta, contrariando declarações do diretor (FOTO: Bruna Gaglianone / Instagram)

A bailarina maranhense Bruna Gaglianone, de 26 anos, criticou nas redes sociais o cancelamento do espetáculo Nureyev que seria lançado na última terça-feira (dia 11) e contaria com a apresentação de mais de cem bailarinos da companha de dança Bolshoi. Apesar de declarações do diretor da companhia, Vladimir Urin, terem sugerido que os bailarinos não conseguiram se preparar a tempo para o espetáculo (e olha que o Bolshoi nunca fez nada parecido em sua história), o cancelamento levantou dúvidas sobre os motivos por trás da decisão.

Em uma postagem no Facebook, Bruna afirmou que os bailarinos estavam prontos e que toda a equipe do espetáculo trabalhou duro e num curto espaço de tempo para a apresentação


Uma das supostas razões para o cancelamento da peça seria a temática do espetáculo, que aborda a arte e homossexualidade do bailarino Rudolf Nureyev e sua luta contra a AIDS. Pela peça apresentar momentos com relações entre pessoas do mesmo sexo, isto poderia ser considerado inadequado já que a lei “anti-gay” russa, proíbe propagandas “que incentivem relações não tradicionais a menores de idade”. Segundo a TASS, agência de notícias, o ministro russo da cultura, Vladmir Medinsky, teria ordenando o cancelamento do balé com base nesta lei.

O espetáculo de balé Nureyev do diretor Kirill Serebrennikov, acabou sendo adiado para março de 2018.

FONTE: O Globo


DEIXE UMA RESPOSTA