Funerária é processada após se recusar a cremar gay nos EUA

Funerária teria se recusado a cremar idoso, após descobrir que ele era gay
Funerária teria se recusado a cremar idoso, após descobrir que ele era gay (Foto: Reprodução)

A funerária Picayune Funeral Home, no sul do Mississipi, nos Estados Unidos, está sendo processada, após supostamente ter se recusado a cremar Robert Huskey, um idoso de 86 anos, por ele era gay. O marido de Robert era John Zawadski.

No processo que consta na Corte do estado, e ao qual o New York Post teve acesso, a cremação de Robert estava pronta para acontecer normalmente. Os funcionários do local avisaram aos familiares que a documentação seria agilizada assim que o corpo chegasse lá, mas, depois de receber um formulário do sobrinho de Robert indicando que John Zawadski era seu marido, a empresa teria desistido da cremação.

Leia Mais:


Bebê canadense é a primeira pessoa a ter gênero designado como indefinido

Guarda municipal trans do Rio consegue alterar nome e gênero em documentos

Os funcionários teriam dito que não lidavam com gente “deste tipo” e se recusaram a prosseguir com o tratamento do corpo e a cremação. Então, a organização LGBT sem fins lucrativos Lambda Legal acionou a Picayune Funeral Home legalmente, incluindo danos morais no processo.

De acordo com um comunicado emitido pela Lambda Legal, o marido de Robert, Zawadski, se sentiu devastado com a situação. “Bob era minha vida, e sempre nos sentimos bem-vindos nesta comunidade”, ele havia dito. “Então, em um momento de tal dor e perda pessoal, fazer o que eles fizeram comigo, com o Bob, não dá para acreditar. Ninguém deveria passar por isso”, completou. O caso segue para análise na Corte.


DEIXE UMA RESPOSTA