Documentário retrata história de primeira gangue LGBT negra do mundo

Membros do Check It reagem com violência à discriminação que sofrem
Membros do Check It reagem com violência à discriminação que sofrem (Foto: Divulgação)

Em 2005, um grupo de adolescentes de Washington, nos Estados Unidos, marginalizados por sua cor, classe social, orientações sexuais e identidades de gênero, resolveram reagir de forma violenta aos ataques que sofriam. Criaram então o Check It, única gangue conhecida no mundo composta apenas de pessoas LGBT e negras.Ao descobriram sobre a história desses jovens, as cineastas Dana Flor e Toby Oppenheimer resolveram retratar suas vidas em um documentário.

Intitulado apenas de Check It, o filme foi desenvolvido durante quase quatro anos – sendo dois anos para as filmagens, e mais dois para a edição, tudo sem financiamento. Os realizadores não são ativistas, mas procuravam por uma história incrível para contar. “Eles são a personificação dos falhanços da sociedade. Caíram por todas as fendas possíveis, da família à Igreja, da escola aos orfanatos e à justiça”, afirmou Dana.

Leia Mais:


Com temática LGBT, Corpo Elétrico tem trailer divulgado; assista

Pabllo Vittar será a grande atração da primeira micarê LGBT de Brasília

O documentário mostra as dezenas de ocorrências, quase diárias, que atingem os membros da gangue. Durante as gravações, um membro foi morto, outro foi esfaqueado, outro atingido por tiros e muitos foram violados.

Apesar de ter começado com um grupo relativamente pequeno, hoje em dia o Check It já conta com mais de 200 membros. As histórias de vidas dos jovens da gangue costumam ter alguns padrões similares: pais presos, mães viciadas em crack e expulsos de escolas. “Não são más pessoas, são forçados a fazer coisas más porque não tiveram escolha”, Dana ressalta. Por enquanto, o documentário está apenas correndo por circuitos de festivais de cinema americanos.


DEIXE UMA RESPOSTA