Câmara de Goiânia rejeita criação de Conselho de direitos LGBT

Votação de conselho LGBT recebeu veto de 11 parlamentares
Votação de conselho LGBT recebeu veto de 11 parlamentares (Foto: Divulgação)

Os vereadores do plenário da Câmara Municipal de Goiânia, em Goiás, vetou o projeto de lei que autorizaria a criação do Conselho Municipal dos Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais e Transgêneros (COMLGBT). Em maio, o projeto havia passado em uma primeira votação no plenário.

Depois da primeira votação, o projeto foi alvo de muitas críticas de vereadores evangélicos. Na segunda votação, 16 parlamentares votaram contra, e apenas cinco a favor. Coincidentemente, 11 vereadores que – teoricamente – seriam favoráveis à decisão não compareceram nessa sessão. O vereador Clécio Alves fez o pedido de vistas antes do início da sessão, mas foi negado.

Leia Mais:


Canadá aprova lei que proíbe desrespeito à identidade de gênero

Coca-Cola causa polêmica ao postar foto de diversidade só com homens brancos

O vereador Sargento Novandir (Podemos) argumentou o veto com a sua religião: “Eu sou evangélico e sirvo a Deus. Entendo que o caminho não é esse. Nós temos que defender todos e não só uma classe”, afirmou.

A autora do texto, vereadora Tatiana Lemos (PCdoB), lamentou a situação. “Uma pena. É um processo muito triste. Representantes da comunidade LGBT iriam se reunir com as secretarias municipais para pensar políticas públicas contra a homofobia. Como um projeto desses pode ser negado? Isso é um atraso muito grande. É uma vergonha”, declarou.


DEIXE UMA RESPOSTA