Ativistas LGBT criam grupo para combater Estado Islâmico na Síria

Grupo de ativistas LGBT estão em combate na Síria contra o Estado Islâmico
Grupo de ativistas LGBT estão em combate na Síria contra o Estado Islâmico (Foto: Reprodução/Twitter)

Formado por ativistas LGBT, o grupo chamado TQILA – The Queer Insurrection and Liberation Army (Exército da Insurreição e Libertação dos Homossexuais) foi criado, nesta segunda-feira (24), como a primeira unidade de combate ao Estado Islâmico (ISIS) na Síria, após três anos de perseguições a Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros.

A unidade foi lançada através do grupo anarquista Forças de Guerrilha da Revolução Internacional do Povo (IRPPGF), que conta com um batalhão de soldados voluntários que viajaram para o norte da Síria, a fim de combater o ISIS. O comando foi criado como resposta aos apedrejamentos, execuções e o massacre na boate Pulse em junho do ano passado.

Leia Mais:


Pesquisa do YouTube indica que público LGBT gamer é maior que a média

Chef de Cozinha Franco Noriega posta vídeo só de cueca e excitado

Nas redes sociais, o grupo divulgou uma foto dos combatentes armados, segurando uma bandeira do grupo e uma que simboliza a comunidade LGBT, além de uma faixa em que se lê: “essas ‘bichas’ matam fascistas”.  Já em uma publicação no Twitter, os soldados dizem que seus membros “procuram esmagar o binômio de gênero e promover a revolução das mulheres, bem como a mais ampla revolução sexual e de gênero”.

Em entrevista a Newsweek, o porta-voz do grupo contou detalhes da investida, que já está e confronto com o ISIS. “Os integrantes do TQILA testemunharam inúmeros ataques das forças extremistas à comunidade LGBT, que se referem a nós como ‘doentes’ e ‘anormais’. Queremos enfatizar que a homofobia não faz parte do islã ou de qualquer outra religião.”, diz o comunicado oficial.


DEIXE UMA RESPOSTA