Ativista LGBT é morta a tiros em Minas Gerais

Ativista LGBT Karina Fátima dos Santos levou três tiros em Betim, Minas Gerais
Ativista LGBT Karina Fátima dos Santos levou três tiros em Betim, Minas Gerais (Foto: Marcio Garbazza/Divulgação)

Uma ativista dos direitos LGBTs, identificada como Karina Fátima dos Santos, de 38 anos foi morta a tiros em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, nesta terça-feira (25). De acordo com a Polícia Militar, o crime aconteceu no fim da manhã no bairro de Bom Retiro.

A vítima que era advogada e estava na segunda fase da prova da OAB, foi atingida por três disparos, sendo um na cabeça, um no braço esquerdo e o terceiro na perna direita. O autor dos tiros estava na garupa de uma moto, e realizou o ato no momento em que Karina tentava manobrar o carro.

Segundo testemunhas, ela tentou fugir no momento do atentado, mas foi surpreendida pelos dois homens a bordo do veículo, que não foram identificados. Os bandidos fugiram após atingirem a vítima. A motivação para o homicídio ainda é desconhecida. A perícia esteve no local, e o corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML).


Leia Mais:

Projeto de lei Dandara dos Santos quer classificar LGBTcídio como crime hediondo

Foto de garoto trans chorando por causa de lei anti-LGBT viraliza na internet

Karina era ex-prostituta e se formou em direito recentemente. “Ela era uma pessoa com personalidade forte e uma militante intensa das causas LGBT”, contou Cida Vieira, presidente da Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aprosmig), que lamentou a morte da colega.

“Ela participou de um evento contra a homofobia e o tráfico de pessoas em Betim e, no momento em que foi baleada, iria se encontrar com um dos organizadores para entregar prêmios que não foram dados no dia”, completou Cida.


DEIXE UMA RESPOSTA