Ativista LGBT Karina Fátima dos Santos levou três tiros em Betim, Minas Gerais
Ativista LGBT Karina Fátima dos Santos levou três tiros em Betim, Minas Gerais (Foto: Marcio Garbazza/Divulgação)

Uma ativista dos direitos LGBTs, identificada como Karina Fátima dos Santos, de 38 anos foi morta a tiros em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, nesta terça-feira (25). De acordo com a Polícia Militar, o crime aconteceu no fim da manhã no bairro de Bom Retiro.

A vítima que era advogada e estava na segunda fase da prova da OAB, foi atingida por três disparos, sendo um na cabeça, um no braço esquerdo e o terceiro na perna direita. O autor dos tiros estava na garupa de uma moto, e realizou o ato no momento em que Karina tentava manobrar o carro.

Segundo testemunhas, ela tentou fugir no momento do atentado, mas foi surpreendida pelos dois homens a bordo do veículo, que não foram identificados. Os bandidos fugiram após atingirem a vítima. A motivação para o homicídio ainda é desconhecida. A perícia esteve no local, e o corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML).


Leia Mais:

Projeto de lei Dandara dos Santos quer classificar LGBTcídio como crime hediondo

Foto de garoto trans chorando por causa de lei anti-LGBT viraliza na internet

Karina era ex-prostituta e se formou em direito recentemente. “Ela era uma pessoa com personalidade forte e uma militante intensa das causas LGBT”, contou Cida Vieira, presidente da Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aprosmig), que lamentou a morte da colega.

“Ela participou de um evento contra a homofobia e o tráfico de pessoas em Betim e, no momento em que foi baleada, iria se encontrar com um dos organizadores para entregar prêmios que não foram dados no dia”, completou Cida.