Wilson de Santos vive três mulheres diferentes em “Brincando em cima daquilo”

Três esquetes mesclam momentos de muito humor, retirados de rotinas identificáveis por cada um de nós, com a crítica contida no enfrentamento à violência e à educação repressora que insistem em recair sobre as mulheres,
Três esquetes mesclam momentos de muito humor, retirados de rotinas identificáveis por cada um de nós, com a crítica contida no enfrentamento à violência e à educação repressora que insistem em recair sobre as mulheres (Foto: Divulgação)

Pela primeira vez um homem vai interpretar textos que são referência no teatro mundial, falando de desejos, sonhos e conflitos presentes no universo feminino.

A obra dos italianos Dario Fo e Franca Rame, encenada no Brasil por grandes atrizes, como Marília Pêra, Denise Stoklos e Débora Bloch, volta mais uma vez aos palcos brasileiros, mas com um “pequeno” detalhe, inédito em todo o mundo. O espetáculo Brincando em cima daquilo, com textos encenados em cerca de 50 países, será, pela primeira vez, interpretado por um homem em cena, o ator paulista Wilson de Santos, que vai encarar o desafio de dar vida às três mulheres que misturam humor e poesia para desafiar as pequenas – e também gigantescas – repressões às quais estão sujeitas em suas relações cotidianas.

A autorização foi dada por Jacopo Fo, filho do casal italiano e representante da obra, que se sentiu instigado com a novidade após analisar o currículo de Wilson de Santos. Nos últimos anos o ator levou ao palco hilárias personagens femininas, como a freira Maria José, da comédia A Noviça Mais Rebelde, e a atriz Bette Davis, na peça Bette Davis e Eu. Agora, Wilson se move em direção a uma de suas maiores aventuras como ator. A comédia Brincando em cima daquilo estreia no dia 03 de junho de 2017 no Teatro Renaissance, com direção do ator e diretor Marcelo Médici (responsável também pela supervisão de direção da comédia A Noviça Mais Rebelde, com Wilson).


Três esquetes mesclam momentos de muito humor, retirados de rotinas identificáveis por cada um de nós, com a crítica contida no enfrentamento à violência e à educação repressora que insistem em recair sobre as mulheres, ainda hoje. Uma dona de casa é trancada no apartamento pelo marido, enquanto outra mulher enfrenta um ônibus cheio na volta do escritório. Já a operária acorda atrasada e tenta encontrar as chaves da porta de casa, numa luta contra o relógio e suas “obrigações” cotidianas. Ressignificadas pelo olhar, voz e corpo de Wilson, todas as cenas são capazes de nos fazer rir e se identificar com a força da peça de Fo e Rame, sempre ancorada na união da coloquialidade do texto e o desempenho dos artistas que decidem dar vida àquelas histórias.

A proximidade entre o ator e o público, utilizando a improvisação para manter um contato direto entre eles é também outra característica que não deixa Brincando em cima daquilo perder sua vitalidade. E essa é justamente uma das grandes características do trabalho de Wilson de Santos, que valoriza palavras, olhares e o timing em cena para estabelecer um diálogo íntimo – e sempre hilário – com quem se deixa contaminar pelo humor ácido com o qual constrói suas personagens. Essa nova versão de Brincando em cima daquilo, portanto, é uma oportunidade rara de viver através do teatro uma experiência emocionante e, sobretudo, divertidíssima.

Serviço
Teatro Renaissance (448 lugares)
 Al. Santos, nº 2233 
Informações: (11) 3069-2286
Bilheteria de terça a domingo, das 14h às 20h. Pagamento em dinheiro e cartões
Vendas: (11) 4003.1212 e ingressorapido.com.br 

 


DEIXE UMA RESPOSTA