Mulher trans cria centro para idosos LGBT na Cidade do México

Samantha Flores criou centro para idosos LGBT na Cidade do México
Samantha Flores criou centro para idosos LGBT na Cidade do México (Foto: Divulgação)

Samantha Flores, de 84 anos, tornou a sua contribuição para a comunidade LGBT ainda maior este ano. Mulher trans, ela criou o Centro de Convivência para Idosos LGBT, na Cidade do México. A intenção é reduzir a solidão e a invisibilidade pela qual esse grupo passa.

A ideia de Samantha vem como resposta ao modo como a terceira idade é vista em sociedade, especialmente os LGBTs. “Os heterossexuais da terceira idade estão esquecidos, abandonados, postos de lado, segregados. Mas os idosos LGBT são simplesmente invisíveis. Ninguém sabe que nós existimos”, afirmou, em entrevista à revista Out. “Não somos casados nem temos filhos ou família. Estamos sozinhos”.

Leia Mais:


PL quer autorizar o uso de banheiros públicos por pessoas trans em Niterói

Participante de novo reality da Record diz ser hétero, mas faz parte de grupo gay

Após a publicação de seu perfil na Out, Samantha conseguiu angariar fundos o bastante para a construção de seu Centro, através de financiamento coletivo. Foram 400 mil pesos (algo em torno de 76 mil reais), e ela também conta com o apoio da fundação Laetus Vitae. Ela reafirma, porém, que o local não servirá de asilo ou albergue, mas sim um espaço para convivência diurna. No futuro, ela espera que a ideia se espalhe por mais locais do mundo.

A população LGBT idosa enfrenta sérios problemas frente à invisibilidade na sociedade e preconceito entre outras pessoas mais velhas, geralmente, por serem de uma geração mais conservadora. Samantha diz, porém, que não deixará de incluir participantes héteros e cisgêneros, se desejarem ser incluídos. “Fomos rejeitados durante tantos anos. Não é agora que começaremos a discriminar”, afirmou.


DEIXE UMA RESPOSTA