Transexual coordenadora de Diversidade Sexual quer capacitar guardas para combater o preconceito

Coordenadora da Diversidade Sexual em Mesquita quer capacitar guardas municipais para combater o preconceito
Coordenadora da Diversidade Sexual em Mesquita quer capacitar guardas municipais para combater o preconceito Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

A atual coordenadora de Diversidade Sexual de Mesquita já foi espancada aos 16 anos por 14 homens. Tudo porque Paulinha, hoje com 50 anos, nasceu Paulo Roberto de Oliveira.

Há dois meses, ela comanda a Coordenadoria e é a única transexual que trabalha em um cargo público de coordenação na Baixada Fluminense.

Paulinha quer que o público LGBT de Mesquita tenha mais oportunidades e direitos. Uma de suas propostas é capacitar os guardas municipais na abordagem a eles:


“Já fui tratada com preconceito por um guarda porque sou transexual. Fui pedir uma informação e ele nem se virou para responder.”

Ela também quer divulgar prevenção às DSTs e Aids, fazer orientação nas escolas para combate ao preconceito, oferecer tratamento hormonal a transexuais e cursos profissionalizantes a LGBTs, acompanhamento social e de saúde a LGBTs da terceira idade.

Fonte: Extra


DEIXE UMA RESPOSTA