Grupo protesta e faz beijaço em vila onde casal gay foi agredido; Vizinhos negam agressões

Grupo faz 'beijaço' em frente a vila onde casal de idosos foi agredido, no Rio (Foto: Yuri Fernandes/ Arquivo Pessoal)
Grupo faz 'beijaço' em frente a vila onde casal de idosos foi agredido, no Rio (Foto: Yuri Fernandes/ Arquivo Pessoal)

Um grupo de pessoas protestou nesta segunda-feira (1) na porta de uma vila de casas onde um casal gay foi agredido por cerca de 20 vizinhos.

Relembre o caso: +Casal gay de 60 e 62 anos é espancado por mais de 20 vizinhos no Rio de Janeiro

Com cartazes com dizeres contra o preconceito, os manifestantes promoveram um beijaço gay na frente do condomínio aonde o casal gay foi agredido.


O outro lado da história

Em meio as acusações, os vizinhos não só negaram as agressões, como também alegaram que o casal era racista. Em entrevista ao jornal O Globo, o subsíndico Jorge Acyr da Matta disse que o casal costuma desrespeitar seus parentes por serem negros.

“O meu erro foi não ter registrado injúria racial”, disse o aposentado, que fez um abaixo-assinado para retirar Flavio e Eduardo da vila.

Desde o dia 24, o casal não consegue entrar na vila por que os vizinhos trocaram as fechaduras da entrada principal e não entregaram as chaves aos dois. Os vizinhos (os mesmos que acusaram o casal de racismo) alegam que a fechadura foi trocada porque quebrou durante a chuva.

Difícil de acreditar na versão desses vizinhos, né?

Flavio e Eduardo aguardam uma medida cautelar da Defensoria Pública para poder voltar para casa. Mas já decidiram: vão se mudar.


DEIXE UMA RESPOSTA