“Deuses Americanos” terá a cena de sexo gay “mais explícita da história da TV”

A cena se passa entre um vendedor muçulmano chamado Salim (interpretado por Omid Abtahi) e um Jinn (Mousa Kraish), uma misteriosa criatura da antiga mitologia do Oriente Médio, que circula por Nova York disfarçado de taxista
A cena se passa entre um vendedor muçulmano chamado Salim (interpretado por Omid Abtahi) e um Jinn (Mousa Kraish), uma misteriosa criatura da antiga mitologia do Oriente Médio, que circula por Nova York disfarçado de taxista (Foto: Divulgação)

Baseada no livro homônimo de Neil Gaiman, a série “American Gods” (Deuses Americanos) estreou recentemente nos EUA. E  pretende mostrar a cena de sexo gay “mais explícita da história da TV”.

É como polêmica nunca é demais a cena irá acontecer entre dois caras muçulmanos. O babado começa quando Salim (Omid Abtahi) sai de Oman, no Oriente Médio, para tentar a vida em Nova York. Vivendo uma vida bem difícil por lá, ele acaba conhecendo um taxista “cujos olhos queimam como fogo”.

Esse taxista pode assumir qualquer forma, seja humana ou animal, e até ficar invisível se quiser. Na tarma, Salim e o taxista acabam indo para o motel.


Segue pra vocês a cena traduzida livremente do livro:

O taxista sai do banho, molhado, com a toalha enrolada na cintura. Ele não está com seus óculos de sol e seus olhos eram chamas de fogo em meio ao quarto escuro.
Com os olhos marejados, Salim pisca. “Eu gostaria que você pudesse ver o que eu vejo”, diz ele.
“Eu não concedo desejos”, sussura o ‘ifrit’ [deus mitólogico árabe], deixando a toalha cair e empurrando Salim gentil, porém irresistívelmente para a cama.
O ifrit demora uma hora ou mais pra gozar, empurrando e se pressionando na boca de Salim, que já gozou duas vezes até agora. O sêmen do jinn tem um gosto estranho, ardente e queima a garganta de Salim.
“Já dissemos várias vezes que o momento do Salim com o jinn é um dos capítulos mais memoráveis, tocantes e românticos do livro”, disse Bryan Fuller recentemente. O criador da série diz que tomou o cuidado de retratar da maneira mais fiel possível a “experiência particular” de um homem gay se descobrindo, levando em conta que ele veio de um país onde você pode ser jogado de um prédio por isso.

Nos EUA, “American Gods” é exibida pelo canal pago Starz. Já aqui no Brasil, é possível assistir a série pelo Amazon Prime às segundas.


DEIXE UMA RESPOSTA