Grupo LGBT denuncia campo de concentração com cerca de 100 gays presos na Rússia

Localização do campo de concentração na Rússia
Localização do campo de concentração na Rússia (Foto: Google Maps)

Se você acha que as coisas aqui no Brasil estão ruins para o lado da comunidade LGBT, saiba que na Rússia as coisas conseguem estar bem piores.

E não estamos mais falando aqui da censura de um filme ou personagem gay, a situação na Rússia parece ter chegado em seu ponto mais crítico. De acordo com informações do site Metro, cerca de 100 homens gays estão detidos em um campo de concentração na Chechênia.

Trata-se do primeiro campo de concentração para cidadãos LGBT desde o Holocausto. O campo estaria sendo utilizado para forçar os gays a deixar a região.


O ativista Alexander Artemyev, da Anistia Internacional da Rússia, informou ao Metro que este é o caso mais difícil que já se envolveu. “Estamos prontos para evacuar as pessoas da região”, afirma.

Em relação à veracidade da denúncia, o grupo explica que por causa do clima homofóbico que domina a região, com uma cultura que honra práticas de violência contra a comunidade LGBT, é praticamente impossível checar as informações. “As pessoas têm medo de falar”, conta Artemyev. “Nós estamos clamando para que as autoridades russas tomem todas as medidas possíveis para investigar o caso”.

Segundo informação oficial, a Chechênia nega as acusações e alega que não existem homossexuais na região. “Se homossexuais existissem na Chechênia, não haveria necessidade de leis punitivas porque os próprios parentes ficariam responsáveis por mandá-los a um lugar de onde não retornariam”, informou um porta-voz de Kadyrov.

Denúncias também foram publicadas no Huffington Post. Segundo o site, gays estariam sendo presos a partir de seus perfis em aplicativos e redes sociais.


DEIXE UMA RESPOSTA