Surto de hepatite entre gays em Lisboa preocupa Direção-Geral da Saúde

Diretor-Geral da Saúde, Francisco George
Diretor-Geral da Saúde, Francisco George (Foto: Gonçalo Villaverde/Global Imagens)

Desde o início do ano, já foram diagnosticados 105 casos só na região de Lisboa e Vale do Tejo. A Direção-Geral da Saúde diz que o caso tem uma “dimensão preocupante” e já emitiu recomendações aos profissionais de saúde.

O número de infetados nos últimos meses suplanta os contabilizados nos últimos 40 anos no país, segundo noticiou esta noite de terça-feira a SIC.

Em declarações ao JN, o diretor-Geral da Saúde, Francisco George, disse que o surto tem uma “dimensão preocupante”.


A Direção-Geral da Saúde vai enviar esta noite um documento com orientações clínicas para os profissionais de saúde, no qual refere que o surto tem sido relacionado com comportamentos como o “Chemsex”, ou seja, “atividade sexual potenciada por substâncias químicas, podendo envolver múltiplos parceiros, sem proteção”.

A hepatite A é uma doença curável, mas pode ser perigosa para quem tem doenças do sistema imunitário. O principal modo de transmissão é por via fecal-oral. “A transmissão através da exposição sexual tem sido descrita, nomeadamente associada a surtos em homens que fazem sexo com homens (HSH)”, refere a DGS.

Fonte: JN


DEIXE UMA RESPOSTA