“Não são obra de Deus”, Pastor evangélico é investigado por discurso de ódio aos gays

Pastor Rodolfo González Cruz é investigado pelo Ministério Público do Peru por suposto discurso pela morte de gays
Pastor Rodolfo González Cruz é investigado pelo Ministério Público do Peru por suposto discurso pela morte de gays (Foto: Reprodução/ Facebook/ MMM Peru)

Em sua defesa pastor alega que citava penas trechos do Antigo Testamento.

A pregação do pastor Rodolfo González Cruz esta dando o que falar!

“Os homossexuais devem morrer assim como os corruptos e os ateus, porque não são obra de Deus. Se encontrarem duas mulheres fazendo sexo, matem as duas, se encontrarem uma mulher fazendo sexo com um animal, matem ela e matem o animal (…) em nome de Jesus”, disse González.


Para o azar do pastor a pregação foi foi gravada na semana passada e divulgada pelo jornal La República.

Na gravação o pastor aparece pedindo aos fiéis que participassem de uma marcha contra a política educativa do governo por considerar que com o ensino da “igualdade de gênero” se pretende disfarçar a promoção da homossexualidade.

O Ministério Público do Peru informou nesta segunda-feira (6) que abriu uma investigação por suspeita de crime de instigar homicídio contra um pastor evangélico que pareceu convocar fiéis para o extermínio de homossexuais, afirmando que eles “não são obra de Deus”.

Nas redes sociais, o Movimento Missionário Mundial publicou nesta segunda um comunicado afirmando que o pastor não insinuou ou mandou que matassem qualquer pessoas e que “as frases que são escutadas na gravação de parte de minha pregação são no contexto dos mandamentos do Antigo Testamento, onde Deus mencionava as penas por imoralidade sexual (…)”.

A pergunta que fica é: se a gente pegasse um livro que diz que tudo bem matar pastores e saíssemos por ai lendo trechos desse livro e insinuando que estas pessoas são inferiores a nós e indignas de suas vidas, isso tornaria menor a nossa responsabilidade para com o que a gente falou?  A culpa é da bíblia ou de quem interpreta a bíblia? De quem mata ou quem manda matar?

Talvez estas perguntas não sejam respondidas, mas amanhã com ceretza mais um LGBT será morto vítima da intolerância religiosa.

Fonte: G1


DEIXE UMA RESPOSTA