Na França, ativista gay é mantido refém, agredido e estuprado por dois dias

Zak Ostmane se recupera dos ferimentos no hospital
Zak Ostmane se recupera dos ferimentos no hospital

Essa é uma história triste de como o preconceito persegue nós LGBT´s, o argelino Zak Ostmane de 35 anos, havia deixado sua terra natal há  apenas três dias justamente para fugir de ataques homofóbicos, e foi surpreendido por duas pessoas que o sequestraram, agrediram e estupraram durante dois dias na França.

Os suspeitos foram encontrados na cidade de Marselha, na França eforam indiciados pelos crimes.

Zak Ostmane é um dos fundadores da ONG “Shams – France”, que atua na defesa da população LGBT refugiada em território francês.


Segundo a vítima, tudo começou quando ele estava em uma bar consumindo bebidas alcoólicas, quando começou a se sentir mal. Foi então que ele foi levado pelos suspeitos até um hotel da região, onde foi mantido refém por dois dias. Zak Ostmane relatou que foi agredido, roubado e estuprado pelos homens.

O resgate de Ostmane aconteceu graças a policiais que estavam passando pela região e ouviram seu gritos de socorro.

Na última quinta-feira, por meio de uma publicação em uma rede social, a ONG “Shams – France” se manifestou sobre o caso, que classificou como “ato bárbaro e abjeto”.

Uma investigação criminal foi aberta para apurar o caso. Os suspeitos, foram acusados pelo crimes de estupro, sequestro, roubo, violência e extorsão. Ambos estão em prisão preventiva.

Apesar dos ferimentos e do terror psicológico que viveu, a vítima passa bem.

Fonte: Jornal Liberation


DEIXE UMA RESPOSTA