“Ele é homossexual” – Deputado afirma que o Mickey é gay e faz apologia para que as crianças também sejam

O deputado Victório Galli afirma que o Mickey é gay
O deputado Victório Galli afirma que o Mickey é gay (Foto: Divulgação)

Pra que analisar a fome da África, a desigualdade social do Brasil ou qualquer outro assunto social, quando se pode analisar a orientação sexual de um desenho animado, não é mesmo?

O deputado federal Victório Galli (PSC-MT) havia postado na semana passada em sua página do Facebook, uma ilustração onde Jesus aparece “protegendo” uma criança do Mickey. Depois de conseguir o que queria, que era chamar a atenção, o deputado explicou seu posicionamento sobre a Disney:

“Em relação a essa situação do Mickey e da Disney, a gente vê que em todas as suas atuações, eles fazem apologia ao homossexualismo. Inclusive o Mickey, se você fizer um estudo profundo como eu já fiz, ele é homossexual. As pessoas estão enganadas com essa mensagem subliminar que a Disney está passando para a sociedade, principalmente às nossas crianças”, disse ele ao jornalista Paulo Coelho, da rádio Capital, de Cuiabá, capital do Mato Grosso.


Mas afinal, como o Mickey poderia ser homossexual se namora com a Minnie?! Acreditem, o deputado tem uma explicação para isso também:

“Isso é o que eles fazem para enganar as pessoas. O objetivo é destruir famílias”, disse. E continuou: “O próprio nome dele em relação aos exemplos que fazem, as cores, assim por diante, você vê uma mensagem subliminar que ele está fazendo uma apologia e apoiando a questão gay.”

Segundo o deputado, o Mickey não é o único personagem “gay” da Disney: “Infelizmente outro filme em que os personagens transmitem mensagem em relação ao homossexualismo é aquele desenho animado do leão, o Rei Leão. Na realidade é outra mensagem que transmite a apologia ao ‘gayismo’. É na questão que o rei leão deveria ser um animal feroz, de transmitir respeito aos outros animais, ele se torna um animalzinho frágil, que carece de proteção dos outros”, citou.

Ou seja, ser feroz/agressivo/truculento é você ser hétero, bem como a fragilidade esta para quem é gay. Alguém pode mostrar aquele vídeo do boxeador gay que depois de ser alvo de piada na internet deu uma surra na pessoa quando a encontrou pela frente?

Quando será que esse povo vai entender que orientação sexual não tem nada a ver com personalidade e caráter?

Além do mais, se a influência da mídia fosse tão determinante para definir a orientação sexual, não haveriam gays não é mesmo? Pois por muito tempo só se via romance hétero na TV. Não vai ser um personagem gay que irá definir isso na vida de uma criança, o máximo que ela vai aprender com isso desde pequena será: “poxa, eu vivo em um mundo onde também existem gays e isso é normal”. Provavelmente esta criança será uma homofóbica a menos na sociedade.


DEIXE UMA RESPOSTA