15 LGBTs que fizeram e fazem história na música brasileira

Pabllo Vittar, Liniker, Cazuza e Daniela Mercury
Foto montagem (Pabllo Vittar, Liniker, Cazuza e Daniela Mercury)

Eles nos deram e ainda nos dão muito orgulho, fizeram história dando a cara a tapa, abriram portas e mais que isso, deram voz aos que não tinham voz.

Ser LGBT no país onde mais se mata LGBTs nunca foi algo fácil, ser um cantor publicamente LGBT para muitos poderia significar a quebra de contratos de gravadoras, a resistência da mídia, e claro, o julgamento popular.

Por essas e outras segue aqui nossa homenagem a estes cantores que nos enchem de alegria, orgulho e coragem e fazem com que a bandeira LGBT esteja sempre presente através da música cujo poder transcende preconceitos e o tempo.


#1 – Renato Russo

Grande nome do rock nacional, Renato Russo dominou os anos 80 com suas letras carregadas de poesia e crítica social. Bissexual, o cantor que transcendeu a música e chegou aos cinemas com filmes como “Tão jovens” e “Faroeste Caboclo” eternizou sua orientação sexual com a música “Meninos e meninas”:

#2 – Angela Ro Ro

Angela Maria Diniz Gonçalves, mais conhecida como Angela Ro Ro é uma cantora, compositora e pianista brasileira. Entre seus hinos esta a música “Amor meu grande Amor” que mais tarde foi regravada por ninguém menos que Cazuza. Angela Ro Ro, hoje com 67 anos, merece todo nosso respeito pois foi a primeira cantora lésbica a se assumir publicamente no Brasil.

#3 – Liniker

Dono de um visual bastante extravagante que desafia as questões de gênero e de uma voz arrebatadora, o cantor Liniker evita os rótulos: “Eu não sei se sou homem ou se sou mulher. Eu sei que sou bicha, preta e é isso. Por que eu preciso estar me colocando se sou trans? Vamos viver as nossas diferenças”, disse o cantor em uma de suas entrevistas.

#4 – Daniela Mercury

Famosa cantora de axé, dona dos carnavais e dos trios elétricos por todo Brasil. Após se declarar lésbica, Daniela Mercury deu um testemunho pessoal na ONU para ajudar a combater o preconceito. Confiram o maior hino da cantora e uma breve descrição da história dela contada por ela mesma:

#5 – Cazuza

Se existe uma palavra que define este cantor é “Coragem”, mais do que se assumir gay, Cazuza teve peito de assumir publicamente o HIV em plenos anos 80 onde a doença era profundamente estigmatizada e praticamente uma sentença de morte. Ele conseguiu eternizar tudo em suas músicas, como no trecho de Ideologia “O meu prazer agora é risco de vida”. Sem dúvida um dos maiores nomes do Rock nacional que inspirou peças, musicais e um filme (Cazuza – O tempo não para) brilhantemente interpretado por Daniel de Oliveira.

#6 – Caetano Veloso

Um dos nomes mais reconhecidos internacionalmente do Brasil, Caetano Veloso foi o primeiro a compor uma canção inspirado em um muso, “Menino do Rio” falava da admiração do cantor pelos dotes físicos de um surfista. Tratava o tema da homossexualidade de maneira lírica e delicada. Além disso, Caetano se cansou de interpretar canções fazendo o eu – lírico feminino, deixando no ar sua condição sexual ambígua. Aqui ele, e a maravilhosa cantora lésbica Maria Gadú apadrinhada por Caetano interpretam a música:

#7 – Pabllo Vittar

Pabllo Vittar é uma cantora drag queen brasileira, que ganhou destaque nacional devido ao clipe da sua música “Open Bar”, uma versão em português de “Lean On”, do Major Lazer. Foi no carnaval 2017 que a drag se consolidou de vez com a música “Todo dia” que foi o grande hit da temporada. Devido a sua estética impecável, Pabllo foi garota propaganda de várias marcas, inclusive de cosméticos e abriu as portas para muitas drags que se lançaram no cenário musical. Vale a pena conferir também o trabalho do rapper gay Rico Dalasam que faz feat com a cantora neste clipe:

#8 – Ney Matogrosso

Um dos cantores mais completos de todos os tempos, Ney Matogrosso consegue ser ótimo compositor, cantor e performer. Se hoje temos cantores como Liniker e Johnny Hooker que transcendem as questões de gênero com suas roupas e maquiagens, devemos muito ao Ney Matogrosso que fazia isso desde a época de Secos e Molhados com muita propriedade e carão. Uma curiosidade sobre o Ney é que ele não só ajudou a produzir o álbum “Ideologia” de Cazuza como os dois também tiveram um romance.

#9 – Ana Carolina

Dona de uma voz grave que sempre acionou o gaydar de todos, Ana Carolina fez muito sucesso nos anos 90 e emplacou várias músicas nas rádios e nas novelas. A cantora nunca fez questão de esconder a sua bissexualidade e sempre tratou o assunto com muita naturalidade: “Em relação à sexualidade, existe uma coisa muito simples: você olha para a pessoa, a deseja ou não, gosta ou não, nada é complicado”, explicou a cantora em entrevista. Fiquem com esse hino lésbico da cantora:

#10 – Jaloo

Tem representante LGBT na música eletrônica brasileira também! Jaime Melo, mais conhecido pelo nome artístico Jaloo, é um cantor, compositor e DJ. Suas músicas de cunho alternativo já foram temas de novela. Além do som, outra ponto que se destaca no trabalho do cantor é o visual andrógeno e os conceitos dos vídeo clipes sempre muito pensados e artísticos.

#11 – Cássia Eller

Grande nome do rock nacional, Cássia Eller teve o privilégio de ser servida por letras de Caetano Veloso, Nando Reis e Renato Russo. Inclusive, o próprio renato Russo quando cantou sua música “Por enquanto” em meio ao show assumiu que preferia a música na versão da cantora. Na letra “As Gatas extraordinárias” escrita por Caetano Veloso para a cantora o lado lésbico da cantora fica lindamente evidente:

#12 – Thiago Pethit

Um dos novos e promissores nomes da MPB brasileira, o cantor Tiago Pethit conquistou muita gente com suas canções delicadas, que estiveram presentes em novelas, séries e no cinema. Além de cantor, Thiago também interpretou um gay no filme “Amores Urbanos” onde ele assina a trilha do filme.

#13 – Sandra de Sá

Expoente da música popular brasileira, com denso enfoque em black music, em entrevista à jornalista Marília Gabriela, Sandra de Sá confirmou sua homossexualidade. “É uma descoberta, é você se perceber. A homossexualidade é como a inteligência ou qualquer outro dom. Você desenvolve”, declarou à época. Maravilhosa, né?

#14 – Banda Uó

O grupo composto por dois gays e uma trans, é uma banda pop formada em 2010. A banda teve seu primeiro destaque na internet, com a versão cover da canção “Whip My Hair” da cantora americana Willow Smith, intitulada “Shake de Amor”. A cantora Candy Mel foi a primeira mulher trans a estrelar campanha do “Outubro Rosa” e hoje atua na TV Brasil no primeiro programa exclusivamente LGBT da TV aberta.

#15 – Marina Lima

“Se todo mundo é mesmo gay, o mundo está na minha mão. Coração, coragem, pra qualquer viagem, pra qualquer sermão”,  este trecho da canção “Na minha mão” composta e interpretada por Marina Lima diz muito sobre a garra e a coragem da cantora. Um dos grandes nomes da MPB, Marina foi uma das primeiras cantoras a se assumir lésbica dentro do cenário musical brasileiro:

Gostaram da lista? Sentiram falta de algum cantor, cantora ou banda? Deixe nos comentários a sua opinião. Nossa missão aqui é divulgar e enaltecer o trabalho destes artistas que tanto nos representam.


DEIXE UMA RESPOSTA