Florista homofóbica perde em tribunal

Florista
Florista (Divulgação)

Uma florista em Richland, Washington, foi multada por se negar a oferecer seus serviços a um casal gay em 2013. Segundo o site castanet.net, as flores seriam para a cerimônia de casamento deles, que já eram clientes da loja.

Barronelle Stutzman, alegou que fornecer as flores ao casal seria como apoiar o casamento entre dois homens. E afirmou que a Primeira Emenda da constituição  (responsável pela liberdade de expressão) lhe garantia o a liberdade de se expressar contra a união do casal.

O advogado do casal, Michael Scott, defendeu que a atividade de Stutzman, vender flores, não poderia ser considerada como expressão.


Washington conta com uma lei de proteção contra discriminação a LGBTs assim como leis da proteção do consumidor, que segundo entendimento do juiz, foram violadas, pois o serviço não foi oferecido por conta da orientação sexual do casal.

A multa chegou à quantia de US $ 1.000, mais US $ 1 em custos judiciais e taxas.


DEIXE UMA RESPOSTA