Diego Hypólito, Bolsonaro, CARLINHOS mAIA
Diego Hypólito com Bolsonaro, Carlinhos Maia e Aguinaldo Silva (Reprodução)

O ser humano, independentemente de orientação sexual, não consegue se desassociar das famosas gafes, claro, somos imperfeitos. Porém, quando se trata de uma pessoa pública, o problema toma uma proporção astronômica.

O ano de 2019 foi maravilhoso para uns, péssimo para outros e contraditório para alguns. Dentro da comunidade LGBT, um logro imensurável foi motivo de celebração: A Criminalização da LGBTfobia, por exemplo. Em contrapartida, investimentos com ênfase em políticas públicas em combate ao HIV estão escassos.

Contudo, além do cenário político, algumas atitudes de LGBTs causaram controvérsia e dividiram opiniões. Diego Hypólito posando ao lado de Bolsonaro, que é declaradamente contra pautas voltadas, exclusivamente, para LGBTs foi uma delas.


Fernanda Gentil se posicionando foi outra. Miley Cyrus, Carlinhos Maia, Britto Júnior, Nego do Borel, Nicole Bahls, Anitta, Aguinaldo Silva entre outros nomes também.

Diego Hypólito com Bolsonaro e Michelle

O atleta acabou gerando controvérsia após posar com o presidente Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Miley Cyrus

Considerada uma diva pop super aclamada, Miley dividiu opiniões após comentar: “Vocês não precisam ser gays”. Após isso, se desculpou e disse que foi um equívoco.

Carlinhos Maia

São inúmeras polêmicas. Até o termo ‘cancelado’ foi usado para ele. O famoso, este ano, causou por não querer beijar o parceiro no casamento para, segundo ele, respeitar o público presente.

Britto Júnior

Ele não é LGBT, mas acabou causando a ira de muitos após comentários tidos como homofóbicos. O apresentador chegou a afirmar que sofre heterofobia, enfatizando que héteros viraram minoria.

Anitta

Bissexual assumida, a poderosa causou na época das eleições, por não querer se posicionar contra o candidato Bolsonaro. Além do mais, este ano, dividiu opiniões após defender, no palco, Nego do Borel, acusado de transfobia.

Aguinaldo Silva

O escritor suscitou uma polêmica explosiva após defender Damares no início do ano.“Venderam a Ministra Damares como uma espécie de ‘maluquete xiita’; e ontem ela provou que na verdade é outra coisa. Uma mulher conservadora, sim. Mas sensata, convencida do que diz, preparadíssima e disposta a fortalecer os vínculos na célula mater da sociedade que é: a família”, declarou Aguinaldo.

Netinho

O cantor se intitula bissexual conservador, e acabou gerando controvérsia após enfatizar que dados de mortes envolvendo LGBTs são distorcidos para atacar grupos direitistas.

Fernanda Gentil

Fernanda Gentil causou a ira de muita gente após dizer, de certa forma, que respeita determinadas posições. “Respeito quem acha um crime ter o beijo gay. Agora, não vai bater em quem beija, entende? [Respeito] Quem, infelizmente, é racista. Agora, vai discriminar, bater, matar por que é de outra cor? Aí não”, disse a apresentadora, que logo se desculpou e ressaltou que não foi bem interpretada.

Nego do Borel

O cantor foi chamado de transfóbico por chamar Luísa Marilac de homem depois que ela o elogiou. Após o entrave, o famoso se posicionou enfatizando que não é homofóbico.

Nicole Bahls

A modelo dividiu opiniões após dizer que não concorda com gays se beijando na TV. Depois que o caso repercutiu negativamente, Nicole ressaltou que ‘ama os gays’.

Val Marchiori

Sem muita modéstia, Val afirmou que muitos a consideram Rainha dos gays. O problema é que vários gays não concordaram com o título, já que a famosa é eleitora de Bolsonaro.

Ludmilla

Hoje ela é um nome muito importante no cenário musical brasileiro. Mas, acabou causando comoção após dizer, no Altas Horas, que “não assumiu sua orientação sexual, e sim o seu relacionamento”.

Paulo Gustavo

O humorista dividiu opiniões depois do suposto corte da cena de beijo gay durante o casamento de Juliano (Rodrigo Pandolfo) e Thiago (Lucas Cordeiro), no filme Minha Mãe É uma Peça 3. Contudo, Paulo afirmou, posteriormente, que a cena nunca existiu.