Donald Trump, presidente dos EUA
Donald Trump, presidente dos EUA (Foto: Divugação)

Trump é um dos homens mais poderosos do mundo, desde que foi eleito o presidente dos Estados Unidos da América.

Ao mesmo tempo que ele tem todo esse poder, muitos questionam a sua estabilidade para governar, já que ele está sempre envolvido em polêmicas que não deveriam fazer parte da vida na Casa Branca.

Ele já foi acusado de ter casos extraconjugais com atrizes pornô, de possivelmente ter conspirado com agentes russos para obter informações sobre Hillary Clinton, e até de ter uma sósia no lugar de sua
esposa Melania Trump.


Além de tudo isso, a comunidade LGBT tem sofrido diversos retrocessos desde que Donald Trump está no poder.

Veja abaixo 5 vezes que o Trump retrocedeu nos direitos das causas LGBTs:

1. Os Estados Unidos estão negando vistos para parceiros de diplomatas gays.

Com esta decisão mais de 100 famílias foram afetadas não podendo permanecer no mesmo país de residência. Uma grande parte desses diplomatas trabalham na Nações Unidas.

2. Trump aprovou um projeto de lei que inviabiliza os transgêneros de atuarem livremente nos trabalhos dentro das redes públicas americanas.

Dentro dessa lei, não há um espaço de reconhecimento dos indivíduos transgêneros dentro dos trabalhos realizados na administração pública americana, ou seja, um retrocesso face à expansão dos direitos LGBT conquistada durante a presidência de Barack Obama.

3. A Casa Branca no governo de Trump ignora o mês do orgulho LGBT celebrado em junho

O mês do orgulho gay é uma das celebrações mais importantes para a comunidade LGBT nos Estados Unidos, já que traz mais consciência sobre as causas e a importância de uma sociedade mais justa e igualitária para ela.

Mas, desde que a administração de Trump subiu ao poder, essa celebração não tem sido reconhecida.

4. Trump baniu as pessoas transgêneros das Forças Armadas dos Estados Unidos da América

Mas, o Departamento de Defesa dos EUA foi contra e está recrutando pessoas transgêneros.

Trump não quer aceitar que pessoas transgêneros defendam os Estados
Unidos da América nas suas forças armadas.

5. Trump tirou qualquer menção aos LGBTs do site oficial da Casa Branca

Assim que chegou na Casa Branca Trump retirou do seu site qualquer menção a esta comunidade. Como pudemos ver em todos os exemplos acima, desde a primeira hora, o reconhecimento da comunidade LGBT e os direitos até aí conquistados foram colocados em causa, ignorados e até retrocedidos por Donald Trump.

78% dos LGBTs americanos votaram na Hillary Clinton, ou seja, grande parte da comunidade sabia do seu posicionamento.

Trump também está indo de encontro com grande parte das mudanças positivas trazidas por Barack Obama, entre elas:

A legalização do casamento gay e banheiro público para pessoas transgêneros.

Felizmente a comunidade LGBT está se mantendo forte e unida, para lutar pela manutenção dos seus direitos como também para ampliação de mais direitos.