Linn Da Quebrada (Divulgação)
Linn Da Quebrada (Divulgação)

Por André Junior

O Palco Sunset do Rock in Rio será tomado pelo empoderamento feminino e a força da comunidade LGBTI+ no dia 27 de setembro, primeiro dia do festival deste ano. Karol Conka recebe Gloria Groove e Linn da Quebrada para fechar o dia de performances no palco alternativo do festival carioca.

Linn é a novata do grupo mas já conta com alguns hits em seu repertório – “Enviadecer” e “Serei a” com a participação de Liniker. A rapper é um dos principais nomes do ativismo trans no Brasil e além de representar a comunidade em canções, luta através de palestras e exposições educacionais ao redor do país.


Conhecida por suas letras polêmicas e explícitas, Linn externa todos os seus pensamentos artísticos e anseios perante a sociedade em entrevista ao Observatório G.

Você se considera uma cantora pop ou de rap? Qual estilo musical guia a sua carreira?

“Me considero cantora, além de tantas outras coisas que eu faço. Não me considero uma cantora de pop e nem de rap, eu acho que eu faço música. Música para ser ouvida. Acho que esse é meu estilo musical.”

O seu nome acaba de ser anunciado como atração do Palco Sunset do Festival Rock In Rio para uma performance ao lado de Gloria Groove e Carol Conka. Como surgiu o convite?

“Foi uma grande surpresa para participar do Rock in Rio. A Gloria eu já conheço, já gravamos juntas, tenho a honra e o prazer de tê-la no meu disco. A Karol sempre foi uma influência provocadora na minha trajetória artística,desde antes da gente se conhecer. Então poder participar de um show, com essas pessoas, é muito maravilhoso pra mim! Fico mega feliz e super ansiosa e confesso com um friozinho na barriga misturado com um tesão que vai ser uma delícia!”

Você, Gloria e Carol já haviam trabalhado juntas antes ou esse trio será unido especialmente para o Rock In Rio?

“Eu e a Gloria já gravamos juntas, mas até hoje ainda não tivemos o prazer de fazer um show, de uma participar do show da outra. E com a Karol que é além de uma amiga, é uma pessoa que tenho me mantido mais próxima, vai ser uma grande honra estar com pessoas que eu admiro tanto enquanto artistas, são também minhas ídolas. Dividir o palco com elas acho que será um grande aprendizado e uma puta oportunidade de potencializar nossas forças. Trazer nossa força enquanto enquanto artistas singulares, com as suas carreiras solo, e fazer disso um “megazord” de muita força e musicalidade.”

Qual o sonho de Linn como cidadã e como artista?“Mais do que sonhar, tenho acostumado a realizar coisas. Mas eu acho que a Linn, enquanto cidadã – e como artista – quer realizar mais, quer sonhar acordada, mas também realizar coisas com os pés no chão, ampliando nossos laços e vínculos, as nossas redes. Contribuir com o momento histórico que estamos vivendo, meu sonho é agora. Ele é presente, ele está vivo e ele está acontecendo.”