Dragon Age
Dragon Age Inquisition Foto: Divulgação

Se você está procurando algo diferente para jogar nessa quarentena, reunimos os melhores jogos LGBTQ que vão de clássicos como Mass Effect e The Sims até jogos mainstream como Dream Daddy e Night In The Woods – todos com personagens LGBTQ. A lista é do Gay Times.

Dragon Age: Inquisition (2014)

Ultimo da saga Dragon Age, o jogo faz com que o jogador se torne o Inquisidor, personagem ‘escolhido’ que deve resolver distúrbios civis no continente de Thedas. O jogo apresenta um sistema de romance, permitindo que os jogadores conquistem vários amantes e também apresentou o primeiro personagem trans da Bioware, Cremisius Acclasi.

Dream Daddy: A Dad Dating Simulator (2017)

Talvez você não consiga sair em encontros durante a pandemia, mas há uma solução com os sims de namoro. Embora não haja muitos players de qualidade no gênero que atendam aos jogadores LGBTQ, o Dream Daddy faz um trabalho muito bom para preencher essa lacuna. Os jogadores assumem o papel de um pai solteiro, cujo objetivo é ter romance com outros pais gostosos.


Mass Effect: Andromeda (2017)

Embora se concentre principalmente em tiroteios no espaço com alienígenas, um dos aspectos mais interessantes da série Mass Effect sempre foi a capacidade de dormir com outros personagens. Tanto o Mass Effect 3 quanto a edição mais recente, Andrômeda, apresentara opções para o jogador perseguir relações entre pessoas do mesmo sexo.

Gone Home (2013)

Se você está procurando um mistério para desvendar, Gone Home é o jogo. O jogador assume o papel de Katie, uma jovem que volta para sua casa em Oregan com uma nota na porta pedindo que não investigue o que aconteceu. Não vamos dar spoiler, mas recebeu elogios da crítica após por retratar problemas LGBTQ,

Life Is Strange (2015)

O premiado Life Is Strange de 2015 permite que os jogadores se sintonizem com novos capítulos do jogo a cada dois meses podendo tomar decisões sobre o desfecho. O jogo foca na estudante Max Caulfield, de 18 anos, que descobre a capacidade de reverter o tempo e deve usar seus poderes para salvar sua cidade de ser destruída por uma tempestade. Em 2017 a atualização deu aos fãs o romance lésbico.

Night In The Woods (2017)

A Night In The Woods é um jogo de rolagem lateral sobre o retorno de Mae a sua cidade natal, Possum Springs, para descobrir mudanças inesperadas, uma amiga de infância desaparecida e um mistério se desenvolvendo na floresta. Os personagen são o que realmente dão vida ao jogo, e muitos deles são LGBTQ, incluindo o melhor amigo de Mae Gregg e seu namorado Angus, além do personagem trans Jackie.

Overwatch (2015)

O shooter online futurista se tornou um fenômeno global. O jogo oferece aos jogadores mais de 30 personagens, cada um com seus próprios estilos e habilidades, e todos têm histórias detalhadas graças a curtas-metragens que podem ser vistos on-line. Dois dos personagens principais da série fazem parte da comunidade LGBTQ – Soldier: favorito dos fãs: 76 e a estrela da capa do jogo, Tracer.

Stardew Valley (2016)

Descrito como um RPG de vida no campo, o jogo se estabeleceu como uma alternativa mais intensa às franquias populares de simuladores, como Harvest Moon e Animal Crossing. Além das atividades como plantar, criar gado, fabricar mercadorias e vender produtos, os jogadores também podem ter romances com seus companheiros de cidade – independentemente do sexo – e se casar e ter filhos.

The Last Of Us: Left Behind (2014)

Além de ser uma das melhores experiências de videogame de todos os tempos, oferecendo uma história de zumbi que poderia rivalizar com qualquer épico de tela grande, The Last Of Us, também apresentou um personagem LGBTQ importante, a adolescente Ellie. Sua sexualidade foi revelada no prólogo de conteúdo para download Left Behind, onde ela compartilhou um beijo com sua amiga Riley.

The Sims 4 (2014)

Muitas pessoas LGBT vão se lembrar da empolgação de descobrir que seus personagens virtuais no jogo The Sims original poderiam ter relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo. Em edições recentes como The Sims 4, casais homossexuais também podem se casar, adotar filhos e iniciar suas próprias famílias, refletindo o mundo real.