Maira Reis alerta para o cuidado sobre como escrever uma carta para uma pessoa trans, o pronome usado, a diferença entre expressão de gênero e sexo biológico e outras questões.

Em seu vídeo, além de ensinar como se referir a Suzy, ela elenca que, mais que uma carta, é preciso estabelecer uma relação verdadeira e duradoura, e até se esforçar para encontrar caminhos de reinserção na sociedade, porque em tempo, Suzy vai parar de receber essas cartas.

Assista ao vídeo:


“Se você vai escrever uma carta para Suzi de Oliveira Santos, lembre-se de que estamos falando de uma mulher, antes de ser trans, existe uma mulher. Não se trata de feminino ou masculino, é pronome. Então estamos falando da identificação daquela pessoa, mulher cis, homem cis, mulher trans, homem trans.

Quando você for falar, ou escrever para Suzy, use o pronome feminino e o artigo feminino. Respeite, porque esse é o básico do respeito para que essa pessoa se sinta inserida e recebida nesse contexto.

No meu ponto de vista, eu vejo um monte de cartas chegando por hora, mas e depois, essas cartas vão parar, e isso pode ser prejudicial para alguém que tem anos de solidão, então tente manter seu projeto, crie uma amizade, um vínculo.

Por último, se você pode fazer mais, como dar emprego, entrar em contato com uma empresa, viabilizar uma inserção dela no mercado, porque só uma carta é um contato ralo, chulo e que não vai mudar a vida dela.