Logotipo-TikTok- Foto:divulgação
Logotipo-TikTok- Foto:divulgação

Durante a virada do ano de 2019 para 2020, um usuário utilizou o aplicativo TikTok para postar um vídeo de alguns segundos, beijando seu namorado ao som de “New York New York”, de Frank Sinatra, e logo após, percebeu que o vídeo tinha sido censurado. Agora o homem acusa a plataforma de homofobia.

De acordo com o Poẽ na roda, Mark Pasetsky usuário do aplicativo, após compartilhar o vídeo, recebeu um aviso dizendo que o vídeo tinha sido retirado do ar. O rapaz afirmou ter se sentido censurado e foi tirar satisfações com a administração do aplicativo.

“Imagine o quão devastador é uma rede social afirmando que não é legal você ser quem você é?”, declarou o usuário. Mark ainda questionou a explicação dada pelos administradores sobre a censura que existe no aplicativo, “prevenir bullying”.


“Se essa decisão foi baseada no erro humano, quem era o humano? Como o TikTok toma decisões de contratação para posições de moderação? A diversidade é representada nas suas equipes? […]Não podemos permitir que uma plataforma de mídia social cometa micro-agressões discriminatórias contra qualquer comunidade. É fundamental que a empresa entenda sua responsabilidade de criar um ambiente seguro e acolhedor para todos”, disse o usuário chateado pela censura.