Por Cadu Safner

A funkeira Pepita acaba de lançar o videoclipe do hit “Chama a Beleza” durante um evento que reuniu a imprensa e famosos em São Paulo. A produção reunião dezenas de profissionais, dentre eles, participações de nomes como Regina Volpato e declarações de Candy Mel, Adriane Galisteu, Mariana Lima e David Sabbag.


A história do clipe se passa em um salão de beleza, onde Pepita se transforma em um mulherão ao lado de influencers digitais e convidam todos para essa transformação, invocando a beleza. Em entrevista ao Observatório G, a funkeira diz: “Espero que esse clipe possa passar uma mensagem importante para o público”.

“Chama a Beleza foi minha segunda grande conquista na carreira. Me considero respeitada no funk”, afirma. Quando perguntada se considera a LGBT promissora neste circuito musical do funk, ela revela: “Tenho uma carreira de muitos anos, mas, a primeira LGBT a pisar no funk e ser promissora foi a Lacraia. Depois foram aparecendo outras. Temos também o Jorge Lafond, esses dois nomes fizeram muito pela bandeira e não são tão lembradas”.

Veja também:

Pela 1ª vez, ex-The Voice Ju Moraes fala sobre sexualidade: “Sou gay, sou lésbica”

Gaby Amarantos interpreta paródia politicamente correta da música de Raul Seixas

Sobre o mercado atual, Pepita afirma que hoje o mercado está muito mais aberto para a comunidade LGBT. “Hoje está melhor para trabalhar. Tem muita gente talentosa, eu sempre falo que sou a única travesti no meio das drags. Eu sou travesti, também sou poc, sou tudo junto em uma bandeira só. Hoje tem muita coisa boa, tem coisas bacanas neste circuito”.

Pepita convida os internautas do Observatório G a conferir a produção, “Foram 18 horas de gravações, e foram as melhores horas da minha vida. Conheci novas pessoas, me apaixonei por elas. Foi maravilhoso, estão todos convidados!”

 

DEIXE UMA RESPOSTA