Fórum de Turismo LGBT do Brasil define os temas para a edição 2021

Publicado em 27/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Fórum de Turismo LGBT do Brasil 2021 definiu, nesta semana, quais serão os temas abordados nos painéis da edição que acontecerá no dia 30 de setembro, no hotel Tivoli Mofarrej, em São Paulo. Neste ano, o evento será realizado em formato híbrido com uma plateia presencial reduzida e transmissão ao vivo pelo Youtube do Brasilturis Jornal.

Com o objetivo de capacitar o trade de turismo com relação as demandas e necessidades do perfil do turista LGBT+, o Fórum abordará quatro temas: Turismo para pessoas trans; Turismo Esportivo para viajantes LGBT+; Turismo LGBT+ em destinos são seguros; e Turismo LGBT+ em destinos nacionais. Os nomes dos debatedores e mediadores estão em processo de seleção e serão divulgados nos próximos dias.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Turismo para pessoas trans

O painel de abertura foi organizado de forma a jogar luz sobre a realidade das pessoas trans no ambiente de viagem, destacando a dificuldade que elas enfrentam para realizar uma simples atividade turística tendo seus direitos individuais respeitados.

“Há relatos diários de pessoas trans sendo maltratadas e tendo seus direitos civis cerceados em equipamentos turísticos, o que é uma pena. Por isso, decidimos abordar o tema neste ano. A ideia é sensibilizar o trade e garantir que eles entendam que respeitar uma pessoa trans é respeitar os direitos humanos”, comentou Alex Bernardes, criador e diretor do evento.

Turismo esportivo para viajantes LGBT+

Esse tema foi pensado levando em consideração o crescente número de competições esportivas que são pensadas exclusivamente para atletas LGBTQIA+ e também pelo aumento expressivo de membros dessa comunidade assumindo espaços no ambiente esportivo.

“Temos, hoje, diversos campeonatos esportivos focados em times LGBT+ no Brasil, além de eventos poliesportivos focados em atletas da nossa comunidade. Apesar disso, o setor do Turismo ainda não se atentou a essa demanda. Atletas e times precisam se organizar de forma independente para suas viagens, o que revela uma oportunidade de negócio perdida por agências e operadoras”, ressalta Bernardes.

Turismo LGBT+ em destinos não seguros

É cada vez mais comum ver turistas LGBT+ viajando de forma aberta, sem medo e dispensando a obrigatoriedade de esconder a sexualidade. Por outro lado, ainda existem muitos destinos com grande apelo turístico onde ser LGBT+ ainda é crime. Em alguns casos, a pena de morte é a sentença para quem infringir a lei.

O objetivo deste painel é avaliar se é recomendado comercializar viagens para esses destinos aos turistas LGBT. E, caso seja inevitável, sugerir como o turista deve se comportar de maneira a minimizar os riscos de uma experiência negativa. “É um tema muito sensível, pois existe uma discussão enorme dentro da comunidade sobre a validade desse tipo de viagem. Devemos boicotar esses destinos ou vale a pena correr o risco?”, comenta Bernardes.

O diretor do Fórum defende o equilíbrio e acredita que as viagens podem ajudar a derrubar essa legislação retrógrada ainda vigente. “Ao mesmo tempo que achamos que não devemos gastar nosso dinheiro em países que criminalizam o direto de ser quem somos, nossa presença nesses lugares também pode ajudar a quebrar paradigmas e isso pode apoiar a comunidade LGBTQIA+ do próprio destino”, esclarece.

Turismo LGBT+ em destinos nacionais

Com um potencial turístico incalculável, o Brasil ainda não é um destino atraente para seus próprios turistas LGBT+. Todos os anos, membros da comunidade LGBTQIA+ gastam milhões de dólares em viagens internacionais por não se sentirem confiantes para viajar dentro do território nacional.

Além da sensação de não se sentirem bem-vindos em seu próprio país, os turistas LGBT+ quase nunca são lembrados em campanhas e ações de comunicação, o que acaba apoiando a decisão de viajar para fora. O resultado é a transferência da renda, que poderia ser gasta aqui, para destinos como Argentina, Colômbia, Israel, Reino Unido e Estados Unidos, entre outros que investem na atração desse perfil de viajante.

“São poucos os destinos nacionais que fazem um trabalho para atrair esse turista. Muitos outros lugares ainda têm receio em se comunicar com esse viajante por medo de uma possível represália ou boicote que possam vir a sofrer dos turistas ‘convencionais’. Nossa ideia é que o painel destrua esse mito, apresentando alguns cases de sucesso de destinos que souberam cativar ambos os públicos”, finaliza Bernardes.

Sobre o Fórum de Turismo LGBT do Brasil

Criado em 2017, o Fórum de Turismo LGBT do Brasil tem o objetivo de capacitar o trade de turismo brasileiro a compreender melhor as demandas dos turistas LGBT+. Entrando em sua quinta edição, o Fórum é hoje o mais importante evento B2B do turismo nacional focado no tema LGBTQIA+.

Em sua última edição presencial, em 2019, o evento recebeu 450 agentes de viagens e operadores de turismo, além, de 35 marcas expositoras. Em 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, o evento foi realizado em formato 100% digital.

Workshop Visit Curaçao – durante a edição do evento

Seguindo todos os protocolos sanitários exigidos, a edição 2021 será realizada de maneira hibrida, com a presença de uma plateia de até 150 pessoas e transmissão ao vivo pelo Youtube do Brasilturis Jornal.

O Fórum de Turismo LGBT do Brasil é realizado pela Revista ViaG, primeira e única publicação de turismo LGBT do Brasil, e conta com o apoio institucional da Associação Internacional de Turismo LGBTQ (IGLTA).

Serviço:

Fórum LGBT do Brasil 2021

www.forumdeturismolgbt.com.br

30 de setembro de 2021

Hotel Tivoli Mofarrej São Paulo Hotel

Transmissão ao vivo: www.youtube.com/channel/UCVUNfeBT77sjeD0kOEh8mzg/featured

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

G Store

MOLETOM PRIDE BRASIL

Comprar

CADARÇOS PRIDE

Comprar

PRIDE UNDERWEAR - COLORS

Comprar

MACACÃO PRIDE SUMMER FLAMINGO

Comprar

SHORT PRIDE

Comprar