Saiba como os Estados Unidos está rastreando ISTs em casa

EUA está utilizando de um serviço para rastrear infecções sexualmente transmissíveis nas residências

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Desde março de 2020, com a pandemia da COVID-19, o mundo inteiro foi obrigado a reaprender novas formas de viver. Em busca de segurança e bem-estar, muitas empresas fecharam seus escritórios e colocaram todos os seus funcionários de home-office. Com o passar dos meses e a percepção que a normalidade não voltaria tão rápido, o movimento “Qualquer lugar pode se tornar seu escritório” virou o lema de muitos países. Desta forma, nos Estados Unidos, profissionais de saúde perceberam que poderiam aproveitar o momento e atender também via teleatendimento.

No Brasil, antes da pandemia, a telemedicina estava em processo de aceitação pela população, não sendo tão vista, pois parecia que não se encaixava para aquele momento. Com a chegada da pandemia, tudo teve que ser acelerado ao máximo, e vimos que em torno de poucos dias hospitais e consultórios médicos aderindo a esta nova forma de trabalhar. Estes avanços nos possibilitaram a segurança em meio a situação que vivemos, a economia de tempo em deslocamento, quando levamos em consideração o  desgaste da ida ao consultório médico, além de trazer comodidade em ter uma consulta em casa. Em algumas situações é possível ter a coleta de exames na própria residência, possibilitando a privacidade e tranquilidade de estar no seu próprio lar.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tendo em vista este cenário, e com o auxílio da tecnologia, a ONG NASTAD dos Estados Unidos teve a brilhante ideia de inovar nas testagens para ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) durante o cenário da pandemia. Com a diminuição dos testes de ISTs causada pela interrupção do atendimento nos serviços de saúde americano, a ONG propôs um projeto chamado TAKEMEHOME.COM, em português se chama “Me leve para casa”.

Dentro da plataforma do projeto, qualquer morador nos Estados Unidos pode solicitar um kit de testagem de ISTs. Com o preenchimento de todos os dados, o combo com os testes é enviado de maneira discreta via correio para a casa do solicitante. Neste kit contém o autoteste de HIV (que deve ser realizado com uma amostra da saliva), frasco para coleta de urina e outros instrumentos parecidos com cotonete, para realização de coleta de amostras da garganta e região anal. O resultado pelo autoteste de HIV fica pronto em 20 minutos, e os demais devem ser encaminhados para o laboratório mais próximo via correio. O resultado fica pronto em semanas e é encaminhado via e-mail. 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio