Karol Conká: Uma análise social sobre a percepção da cantora na relação com os ex-BBB Bill e Carla Diaz

Estreou nesse dia 29, o documentário “a vida depois do tombo” da cantora

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta quinta-feira (29), à meia-noite (horário de Brasília), estreou o documentário da cantora e ex-participante do Big Brother Brasil 2021, Karol Conká. O doc se chama “A vida depois do tombo”, relembrando a sua principal música na carreira, o hit Tombei, lançado em 2015. Esta música teve a parceria do Tropkillaz, e não pode ser utilizada por completo no documentário por conta da não liberação do DJ. A parceria entre Conká e Zegon (DJ do Tropkillaz) encerrou em 2017 com processos na justiça, desta forma, a Globoplay entendeu os direitos do coautor e decidiu não reproduzir a obra completa.

Vale lembrar que a cantora saiu do maior reality show do país com 99,17% dos votos, tendo vários projetos cancelados, com uma estimativa de perda financeira de aproximadamente 5 milhões de reais. No doc, a cantora nega conseguir esse valor, mesmo em um ano intenso de trabalho. Durante sua participação no BBB 21, ela se envolveu em episódios lamentáveis com dois ex-participantes, Arcrebiano (conhecido popularmente como Bill) e Carla Diaz (conhecida como ex-Chiquititas).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A cantora se aproximou do até então participante Bill, demonstrando interesses em iniciar um relacionamento. A aproximação aparentava ser algo normal, até eles ficarem durante uma festa, onde deu-se início ao mal entendido sobre o “querer” do Arcrebiano, uma vez que ele tentava se desvincular e demonstrar que não queria continuar naquela situação. Karol durante o reality demonstrou um poder incrível de persuasão, pessoa forte e que muitas vezes conseguia impressionar as pessoas, fazendo com que elas ficassem ao seu lado. Ela utilizava da sua autenticidade e posicionamento para formar opiniões apoiadoras dentro da casa, a fazendo parecer uma possível finalista.

Fora do reality show, era possível perceber os passos dados para convencer o Arcrebiano de ficar com ela. Chegou um momento que nós como telespectadores não entendíamos em qual mundo ela estava vivendo, a partir do momento que ela fazia algo totalmente errado e a maioria da casa camuflava o erro, dando a ela a soberania que queria. Karol conseguiu rotular o Bill como ‘macho escrot*’ dentro do reality, situação que vimos aqui fora e que não era real.

A cantora por muitas vezes tentou utilizar de toda a sua bagagem e visibilidade “no mundo real”, para convencer os outros participantes de que ele era realmente tudo o que ela já rotulava. Bill saiu em um paredão difícil com a Juliette e Gil do vigor, mas para ele chegar lá nesta disputa, recebeu 8 votos da casa, por influência de Karol. Por muitas vezes vemos em nosso país pessoas que tentam impor sua opinião, apenas por serem consolidadas em uma determinada área.

Na sequência, Karol inventou que a Carla Diaz estava a fim do Bill (até então, melhor amigo dentro do reality do possível ficante real da atriz, o Arthur). A cantora utilizou falas ácidas ao referenciar a carreira de Carla desde a sua infância, trazendo à tona o seu jeito, o seu posicionamento, e até sua posição como mulher. Durante o doc ela confirmou que tinha inventado que Carla estava a fim do Bill por conta de uma confusão em sua cabeça.

Em sua defesa, Karol relata uma história sofrida de muitas injúrias desde sua infância, devido a sua cor de pele. A cantora também alega problemas com sua animosidade, quando ela perde o equilíbrio e tenta transferir a sua dor interna para o outro, sem qualquer limite. Ela sempre tentou escrever letras de autoconfiança, relatando que sempre sofreu com a falta dela. Com esse contexto, a cantora levantou a pauta de que o julgamento foi maior por conta de ela ser negra.

Sabemos que o Brasil é um país muito racista, mostrando que o ódio chegou a um patamar fora do nível de reality, agravado pelo fato de ela ser negra. Com todo o seu histórico, também é perceptível o quanto essa eliminação deve tê-la prejudicado em seu contexto atual, pois desde a infância a vida de Karol é cercada por muitos xingamentos e pressão psicológica. Quem somos nós para julgar uma pessoa a partir do momento que ela reconhece os seus erros. Esperamos que todas as falas preconceituosas e relativizadas dentro do reality show tenham servido para o amadurecimento e um novo posicionamento da cantora daqui para frente.

Segue o trailer do documentário:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio