A mãe do Paulo Gustavo fez um relato importante sobre a situação do país

Ela se demonstrou indignada durante o programa fantástico da rede Globo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste último domingo (09), Dia das Mães, a mãe do ator Paulo Gustavo deu uma declaração para a jornalista da rede Globo Renata Ceribelli. Muito emocionada com a perda do seu filho na última terça-feira (04), para o novo coronavírus, em que se encontrava desde o dia 13 de março no hospital internado, totalizando 52 dias até o seu falecimento.

A dona Déa Lúcia tem papel fundamental no grande sucesso do seu filho na trilogia Minha Mãe é uma Peça, pois a mãe em que o Paulo Gustavo se inspirou para montar a personagem principal deste legado, dona Hermínia, foi a sua própria mãe. O ator se tornou um grande ícone de sucesso nos cinemas, a partir do momento em que apostou na história de sua mãe, gerando uma identificação com muitas famílias ao decorrer do país.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma mãe com tons de representatividades, posicionamentos e empatia com o próximo, acima de tudo. legado em que sua mãe Déa Lúcia deixou na entrevista realizada neste domingo ao programa da Rede Globo, Fantástico:

“Que a corrupção mata, Renata. Roubar na pandemia é assassinato.  Eu chorei com cada mãe e, choro. E vou continuar chorando, mas está luta, vai ser minha”, disse a mãe do ator emocionada.

Déa Lúcia, a inspiração que se fez arte, o legado que será para sempre. Esta grande mãe falou sobre a coincidência de datas e horários, do lançamento da Minha Mãe é uma Peça em 2006, no teatro, até o falecimento na mesma data 4 de maio, em torno de 21h da noite, mesmo horário da estreia. Déa também comentou sobre a importância do casamento gay e da gratidão em que ela sente pelo filho:

“Eu fico triste, estou triste. Muito triste, mas meu filho deixou um exemplo maravilhoso contra o preconceito, o meu filho se casou, meu filho formou família, meu filho foi amado e ele constituiu tudo. Eu tenho dois netos maravilhosos, mas isso que ele teve uma família que segurou, que deu amor a ele. Durante um ano, a gente viajando o país até as crianças nascerem, eu terminava o espetáculo falando que homofobia era crime e que a corrupção mata, Renata”, afirmou a inspiração para a personagem, dona Hermínia.

Vídeo da declaração da dona Déa Lúcia:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio