Olimpíada de Tóquio pode ter número recorde de atletas LGBT

Quando a cerimônia de abertura das Olimpíadas acontecer em Tóquio, dia 23 de julho, haverá um número recorde de atletas LGBT competindo.

Publicado em 5/24/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Olimpíada do Rio 2016 foi a mais gay friendly da história. Uma pesquisa realizada pela OutSports.com mostrou que 56 atletas participantes dos jogos se identificaram abertamente como LGBT. Dados apresentados pela OutSports.com afirmam que esse número pode ser bem maior na Olimpíada de Tóquio. Isso se deve ao fato de que a Olimpíada do Rio representou um aumento de 143% em relação aos 23 atletas que conhecemos na Olimpíada de Londres de 2012, que apresentou um aumento de 130% em relação aos atletas da Olimpíada de Pequim de 2008.

Mulheres na liderança

Em 2016 a maioria dos atletas LGBT eram mulheres e é bem provável que em Tóquio também seja. É cada vez mais comum a presença de mulheres assumidas publicamente LGBT nos esportes de elite, aumentando, assim, o número de participantes LGBT’s nas competições. Para se ter uma ideia, na última Copa do Mundo de Futebol Feminino – França 2019.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A OutSports identificou cerca de 40 mulheres assumidas, esse número representa um aumento de 122% em relação ao número de mulheres declaradas publicamente na Copa do Mundo de Futebol Feminino quatro anos antes. Contando com a presença cada vez maior de mulheres assumidamente LGBT no basquete, hóquei em campo, rugby, vôlei e outros esportes coletivos esse número pode triplicar a participação de mulheres LGBTs na Olimpíada de Tóquio.

Representatividade em jogo

À época da Olimpíada do Rio 2016 a socióloga, e professora da Universidade Veiga de Almeida, Renata Feital afirmou que a participação de LGBTs na competição é o reconhecimento de uma identidade que sempre ficou marginalizada. “Elas estarem lá é reconhecer que essas pessoas são cidadãs, que merecem estar ali ou em qualquer lugar onde elas queiram estar. É uma questão de reconhecimento e empoderamento. Isso é muito importante neste momento de retrocesso que vivemos, com políticos ainda com pensamentos muito retrógrados”. Concluiu a professora. 

Porém, a Olimpíada de Tóquio já será histórica porque contará com a participação da primeira Trans em uma olimpíada. Assim, podemos nos fazer a seguinte pergunta: exatamente quantos atletas LGBTQ declarados publicamente estarão competindo em Tóquio nos Jogos Olímpicos? Por enquanto não dá pra saber de forma clara, mas observando o crescimento dos últimos anos com certeza será o maior número de atletas de elite já reunidos em um evento. De longe. 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio