visibilidade trans
Visibilidade trans (Imagem: Reprodução)

Por conta do Dia da Visibilidade Trans, comemorado em 29 de janeiro, Curitiba (PR) está com uma vasta programação voltada a este público. A sequência de eventos está sendo organizada pelo Instituto Brasileiro Trans de Educação (IBTE), em parceria com a Associação Paranaense da Parada da Diversidade (APPAD) e Dom da Terra LGBTI.

Além disso, a ONG Mães pela Diversidade também apoia a iniciativa. Os eventos são feitos em união com a Casa Selvática. A I Semana da Visibilidade Trans Paraná acontece de 27 a 29 de janeiro, com programação gratuita, em diversos pontos da capital.

De acordo com a Revista Lado A, o objetivo é, além de debater a pauta trans, destacar a produção artística dessa população. Ativistas, artistas, profissionais de educação e demais transexuais irão participar com exposição de sua arte e trabalho.


Leia mais:

Mangueira apresenta oficialmente primeira musa transexual

Programação

Na inauguração, dia 27 de janeiro, a partir das 14h, acontece o Sarau Trans, na Casa Selvática. A performance Metamorfose Travesti, de Mel Bevacqua, dá o tom da programação. Bevacqua é xamã travesti. Seu trabalho consiste na feitiçaria e tarô, espiritualidade nômade, sagrado trans e magia libertária.

Em 28 de janeiro as atividades são voltadas para o cinema. Curtas como Primavera de Fernanda e Maldita, interpretados pela atriz e professora Laysa Carolina Machado, serão exibidos ao público. Logo depois, acontece um debate com a artista. A programação acontece a partir das 19h, na sede da APPAD.

Veja também:

Ludmilla cancela show com Nego do Borel e cantor se pronuncia sobre o caso

Para encerrar, no dia 29 de janeiro, as atividades se intensificam. Um Ato de Resistência na Boca Maldita acontece a partir de 12h no Centro de Curitiba. A partir de 13h30, segue com apresentações culturais. Às 14h, acontece a mesa-redonda sobre políticas públicas, saúde, trabalho e direitos das pessoas trans. A programação é em parceira com a ONG Mães pela Diversidade, e ocorre na sede da APPAD.

Às 17h, o IBTE lança o aplicativo de denúncias Violações e Transfobia na Educação. E, ainda, a instituição divulgará uma pesquisa que objetiva a discussão de questões sociais voltadas ao interesse das pessoas trans.

Mais informações podem ser adquiridas na página oficial do evento.