Festa Priscilla em São Paulo atrai público de fora do meio LGBT

Festa Priscilla
Festa Priscilla (Foto: Reprodução/G1)

O cenário artístico que antes era muito restrito a comunidade LGBT, hoje vem se adaptando para todos os públicos e artistas. E um grande exemplo disto, é a festa Priscilla, que acontece todo final de semana em São Paulo e possui 30 edições estreladas, além de 14 no Rio de Janeiro, feitas por Drag Queens.

O projeto idealizado por Sérgio Oliveira e Leonardo Polo, leva o nome de um filme Australiano [Priscilla, A Rainha do Deserto], e tinha o objetivo de criar uma balada de arte Drag. O resultado é surpreendente, as Casas ficam lotadas de todos os públicos.

Leia Mais:


Movimento LGBT apresenta carta da diversidade no Congresso

Governo terá seis meses para regulamentar lei anti-homofobia

O trabalho é grande e exige muito esforço. A presença de drag queens saídas do reality show RuPaul’s Drag Race, como Alaska Thunderfuck é quase sempre garantida nas festas. O maior número de pessoas na balada, foi quando a drag queen e comediante norte-americana Bianca Del Rio compareceu, bateu o recorde de 1,8 mil pessoas.

Mas o Brasil também tem história com as suas drags. Como por exemplo, Márcia Pantera e Silvetty Montilla. Que já atua há 30 anos, com seu famoso ‘bate cabelo’, onde as drag queens rodam a cabeça no ritmo da música, sem deixar a peruca cair. Márcia diz que o programa de RuPaul é interessante e inspiratório, mas que há uma banalização da arte.

Com informações do G1.

Serviço:

Festa Priscilla
Onde: festa itinerante em SP
Datas, atrações e preços:
 anunciados na página da festa no Facebook

Blue Space
Onde: Rua Brigadeiro Galvão, 723 Barra Funda – São Paulo – SP
Quando: todas sextas, sábados e domingos
Atrações e preços: anunciados no site da casa


DEIXE UMA RESPOSTA