Coletivo organiza ato contra prisão de travestis em São Paulo nesta sexta-feira (13)

Ato denuncia truculência de policiais militares que prendeu nove travestis em São Paulo
Ato denuncia truculência de policiais militares que prendeu nove travestis em São Paulo (Foto: Reprodução)

O Coletivo Arouchianos organiza um ato na praça da República, em São Paulo, nesta sexta-feira (13), a partir das 17h, em protesto contra a forma truculenta como policiais militares abordaram um grupo de travestis, presas no último dia 05, próximo a praça e o Largo do Arouche.

De acordo com os organizadores na página do evento no Facebook, uma equipe comandada pelo sargento Pires, também conhecido como Bigode, abordou de maneira vexatória, e as revistou com luvas, “o que caracterizaria estupro, pois são mulheres”, além de tratarem pelo nome civil, indo contra a lei nº 10.948/01.

Leia Mais:


Modelos ruivos tiram a roupa em alerta para o câncer de testículos

Transformista Suellen Pinheiro participa de A Força do Querer e desabafa: “Desinformação é enorme”

O coletivo afirma ainda que as autoridades utilizaram de “abuso de poder” para prender nove travestis por “prostituição”, que não é considerada crime no Brasil. Porém, a acusação que consta no registro da 3ª Delegacia de Polícia é de “resistência/desacato”.

Em nota, a assessoria de comunicação da PM, afirmou que a guarnição esteve no local para averiguar uma denúncia feita por representantes de uma instituição de ensino próxima, na qual relataram que as travestis estavam com “comportamento obsceno” em via pública. A prisão aconteceu após elas se recusarem a mostrar os documentos. O comunicado ainda diz que irá investigar se houve abuso por parte dos policiais. As informações são do site Guia Gay São Paulo.

 


DEIXE UMA RESPOSTA